“O Incrível Homem Pelo Avesso” no Galpão - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CADERNO A

“O Incrível Homem Pelo Avesso” no Galpão

Caderno A, Caderno A - Capa

A montagem promove um grande encontro artístico, cultural e social para dialogar com a comunidade, a partir da trajetória de Canudos / Foto: Divulgação

A montagem promove um grande encontro artístico, cultural e social para dialogar com a comunidade, a partir da trajetória de Canudos / Foto: Divulgação

O grupo Contadores de Mentira, de Suzano, encena “O Incrível Homem Pelo Avesso”, neste domingo, às 19 horas, no palco do Galpão Arthur Netto, em Mogi das Cruzes. O ingresso tem preço mínimo de R$ 5,00.
O espetáculo é uma celebração baseada nos festejos populares, onde se come, bebe, faz-se teatro, música, dança e cria-se comunhão com as pessoas. “Celebramos Canudos e Antônio Conselheiro e optamos por narrar os vários canudenses, que dedicaram suas vidas à construção de uma nova realidade sertaneja. Adentramos na história do Brasil por um caminho contrário à ótica militar de ‘Os Sertões’, de Euclides da Cunha”, esclarece a trupe.

O projeto
Este projeto alia as ações de um grupo de teatro que vai além da própria linguagem e dialoga com a comunidade à sua volta por meio de um grande encontro artístico, cultural e social. Este “diálogo” com a comunidade é partir da trajetória de Canudos: outra comunidade resistente e sustentável que se constituiu no Brasil no início da República. O projeto trata as questões sociais, religiosas, culturais envolvidas no conflito que massacrou mais de 25 mil pessoas, entre homens, mulheres e crianças. Para além de “reter” a História está o pensamento que movimentou aquela comunidade.
A direção e dramaturgia de “O Incrível Homem Pelo Avesso” é de Cleiton Pereira, que também assina a produção ao lado de Daniele Santana. Michael Meyson é responsável pela direção e criação musical.
O endereço do Galpão Arthur Netto é Rua Fausta Duarte de Araújo, 23, no Jardim Santista. O telefone é 3433 9841.

O grupo
O Grupo Contadores de Mentira, hoje também instituição com o mesmo nome, nasceu em 1995 na cidade de Suzano, onde desde 2013 mantém também uma sede física o Teatro Contadores de Mentira. Desde então produz projetos, espetáculos, festivais, encontros, feiras, e sobretudo, um diálogo de sobrevivência, crescimento, articulação e atitude entre cidadão e cultura.
Os Contadores descobriram cedo que é necessário se organizar em coletivos, lutar por políticas públicas, e que dialogar com a comunidade é tão importante quanto a obra teatral.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone