Pela metade - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           EDITORIAL

Pela metade

Editorial

Esperada com ansiedade pelos moradores, a documentação com a nova numeração das 330 residências da Avenida Julio Simões, em Braz Cubas, começa a solucionar um drama para os milhares de moradores daquela região. Com a entrega das obras de urbanização e a construção de uma nova avenida, os moradores passaram a ter problemas para receber as correspondências e entregas de mercadorias pela falta de um Código de Endereçamento Postal (CEP), que somente poderia ser providenciado após o ordenamento dos números.

Desde a inauguração do novo acesso que supervalorizou essa região de Braz Cubas, as famílias enfrentam dissabores pela falta do CEP. As milhares de pessoas que ali residem têm prejuízos quando não recebem uma conta de água ou de luz, ou um aviso judicial. Notícia boa, como um chamado para uma entrevista de trabalho, também custa a chegar porque alguns moradores se valem do endereço de familiares e amigos para conseguir minimizar os danos.

Há dois anos, secretarias municipais tratam da regularização dos números, em parceria com os Correios. Com a definição numérica, concluída pela Prefeitura neste mês, a atenção se volta para os Correios, a quem cabe emitir o CEP. Uma importante parte dessa luta se encerrou sábado, quando o prefeito Marcus Melo entregou os novos documentos aos moradores. Mas, a batalha ainda está pela metade.

A numeração dá identidade a essa comunidade formada por algumas famílias antigas e tradicionais de Braz Cubas, gente que comprou os terrenos e construiu as moradias ao lado do Córrego dos Canudos e conviveu com toda sorte de problemas causados pelo esgoto a céu a aberto que dele vertia. Nos dias de chuva, a enchente de água apodrecida entrava na casa dessas pessoas. Nos dias de sol, eram os animais peçonhentos e insetos que saiam do vizinho morto pela alta descarga de detritos residenciais, não canalizados.

O Complexo Viário Julio Simões fez parte de um pacote de intervenções públicas realizadas em Braz Cubas na última década. A obra canalizou o Córrego dos Canudos e criou uma rota urbana entre o Distrito e a Rodovia Mogi-Bertioga, a partir da interligação entre avenidas Francisco Ferreira Lopes e o Prefeito Maurílio de Souza Leite.

Ajustes, como a conquista do CEP, fazem parte da nova rotina de quem, no passado, muito lutou para ganhar o olhar do poder público. E, como dissemos, a luta está pela metade. Essa comunidade precisa se manter mobilizada porque a urbanização dá vida a outras demandas, como a alta velocidade de uma via residencial que recebe um tráfego de outros bairros e de quem apenas passa por Mogi a caminho ou na volta da praia.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone