Tecnologia está em alta no Focus - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           AUTOMOTOR

Tecnologia está em alta no Focus

Automotor

Bom “recheio” da versão de topo Titanium ajuda o modelo da Ford a se manter líder entre os hatches médios

Há tempos a Ford planejava inserir uma identidade visual única em seus modelos globais. A estratégia começou a ser colocada em prática há três anos, quando o novo Fusion foi apresentado no Salão de Detroit. Depois, os modelos vendidos no Brasil foram, um a um, recebendo a ampla grade hexagonal. Entre os carros de passeio, faltava apenas o médio Focus. A mudança, que chegou às lojas em janeiro, veio bem a calhar: não apenas unificou o design do portfólio de modelos como também deu novo vigor ao carro na disputa com a concorrência e fortaleceu sua posição na liderança entre os hatches médios. Entre janeiro e setembro de 2015, o modelo emplacou 12.245 unidades, uma média de 1.360 exemplares por mês, contra os 816 do rival Volkswagen Golf. E metade desse resultado do Focus vem da configuração “top” Titanium, que conta ainda com uma variante denominada Plus, que reúne o que de melhor o hatch tem a oferecer.

Um dos pilares da Ford na disputa pelo mercado automotivo é a busca por tecnologia e conectividade. Nesse sentido, o Ford Focus Titanium Plus 2.0 de fato se destaca. A versão sai de fábrica com o assistente de frenagem autônomo, que evita a colisão em velocidades até 20 km/h e reduz de forma significativa o impacto a até 50 km/h. Outro item que surpreende é o sistema de estacionamento automático de nova geração, que funciona em vagas paralelas e perpendiculares. A segurança na direção é ampliada também com os faróis bixênon adaptativos, que ajustam a iluminação de acordo com a direção que o carro recebe. Isso sem contar os recursos que são de série desde as versões mais baratas, como controle de estabilidade e tração e sistema de conectividade Sync.

No Focus Titanium Plus, porém, a central multimídia é diferenciada. A tela de 4.2 polegadas das versões de entrada dá lugar a outra com quase o dobro do tamanho. São oito polegadas, sensível ao toque e com navegador GPS incorporado. Além disso, há Bluetooth, comandos de voz em português para áudio, telefone, GPS e arcondicionado, câmara de ré, sistema AppLink com novos aplicativos e assistência de emergência (um sistema que, quando o telefone está conectado via Bluetooth ao equipamento, faz uma ligação automática ao serviço de atendimento médico de urgência em caso de acidente com acionamento dos airbags ou corte de combustível). O carro conta ainda com chave presencial, que permite o acesso ao veículo e a partida do motor sem que ela seja retirada do bolso. Tudo é feito apenas como o toque de um dedo.

O “face-lift” fez a linha 2016 do Focus se destacar principalmente na dianteira, que ganhou a nova grade hexagonal que, nas configurações Titanium, recebe barras cromadas. Os faróis também foram reestilizados e, agora, chegam com luzes diurnas em LED. Na lateral, a versão de topo ganha um friso cromado na linha dos vidros. Já a traseira tem lanternas assimétricas redesenhadas. No interior, os revestimentos ficaram mais escuros e com texturas contrastantes. O cockpit segue um padrão moderno e o painel recebe materiais suaves ao toque, além de algumas partes revestidas em couro, caso do novo volante, que incorpora comandos de áudio.

Sob o capô, no entanto, nenhuma alteração foi promovida. O motor 2.0 litros de 178/175 cv com etanol/gasolina no tanque sai sempre acompanhado da transmissão automatizada de seis velocidades e dupla embreagem, com possibilidade de trocas sequenciais de marchas no volante. Mas esse pacote tecnológico de segurança, entretenimento e conforto, que inclui ainda sistema de som premium da Sony, espelhos com rebatimento elétrico, banco do motorista com ajuste elétrico e teto solar elétrico, tem um custo. E que não é baixo. São R$ 97.900, ou R$ 9 mil a mais que a configuração Titanium. Definitivamente, o preço não é um grande chamariz para o modelo. Mas, a julgar pelas boas vendas e a liderança na categoria de hatches médios, também não dificulta seu desempenho nessa disputa. (Márcio- Maio/AutoPress)AgnaCon

EM DIA Versão Titanium Plus do Ford Focus é extremamemte bem equipada, tendo até função que estaciona o carro sozinho. Mas essa modernidade tecnológica tem um preço, que não é nada baixo: o modelo custa “salgados” R$ 97,9 mil

  • FORD FOCUS
    FORD FOCUS
  • FORD FOCUS
    FORD FOCUS
  • FORD FOCUS
    FORD FOCUS
  • FORD FOCUS
    FORD FOCUS

Desempenho – O motor 2.0, de 178 cv e 22,5 kgfm com etanol no tanque, esbanja disposição sob o capô do Focus. A transmissão automatizada de dupla embreagem e seis marchas explora bem a faixa de trabalho do propulsor e há força para acelerações mais vigorosas em todos os giros, apesar do torque máximo aparecer apenas em 4.500 rpm. O zero a 100 km/h em 9,5 segundos é uma boa marca, considerando se tratar de um hatch médio de 1,4 tonelada. Nota 8

Estabilidade – A sensação de segurança no Focus hatch é constante. A direção tem peso correto e as suspensões trabalham muito bem para segurar o carro nas curvas, mesmo em velocidades elevadas. O carro se mantém no trajeto apontado sem problemas e, caso o motorista cometa qualquer exagero, há controles de estabilidade e de tração para corrigirem excessos. Nota 9



Interatividade – O Ford Focus Titanium Plus 2.0 agrada bastante nesse quesito. A central multimídia é funcional e seu uso completamente intuitivo. O ar-condicionado é digital de duas zonas. Todos os comandos do carro estão bem situados. Os ajustes do banco do motorista são elétricos e uma das principais surpresas da versão de topo do hatch é o sistema de estacionamento automático, que é simples e eficiente. Nota 9

Consumo – O InMetro testou a versão hatch do Ford Focus Titanium 2.0. O modelo registrou médias de 6,7/9,9 km/l na cidade e 8,5/12,4 km/l na estrada com etanol/gasolina no tanque. Esse resultado lhe conferiu classificação B no segmento e C no geral, com consumo energético de 2,03 mJ/km. Nota 7

Conforto – Sem dúvida, o ponto forte do hatch nesse quesito está nos bancos dianteiros. Eles são espessos e a espuma tem ótima densidade. Com os apoios laterais, tanto o motorista quanto o carona “encaixam” e se sentem bem à vontade. Isso, porém, afeta os ocupantes de trás. Justamente por conta da espessura dos assentos dianteiros, sobra pouco espaço para quem viaja ali. A suspensão filtra bem as imperfeições do solo e o isolamento acústico impede que os barulhos externos atrapalhem a paz das viagens. Nota 7

Tecnologia – A terceira geração do Focus está no meio de sua vida útil – foi lançada no fim de 2010 na Europa e nos Estados Unidos, mas apenas em 2013 chegou ao Brasil. A plataforma é moderna e dá suporte a versões elétricas e híbridas lá fora. A versão Titanium Plus 2.0 traz itens importantes de segurança como controles eletrônicos de estabilidade e tração e seis airbags. O câmbio automatizado de dupla embreagem é moderno, o sistema multimídia é completo e o condutor não precisa sequer se preocupar em estacionar, já que o carro faz isso sozinho. Nota 9

Habitabilidade – O bom ângulo de abertura das portas facilita o acesso. Os nichos para objetos são satisfatórios. O porta-malas leva razoáveis 316 litros. Mas os ocupantes traseiros podem sofrer com a falta de espaço para as pernas e o caimento acentuado do teto, apesar dos 2,65 metros de entre-eixos. Nota 7

Acabamento – O interior do Focus mistura peças emborrachadas, plásticas e bancos e outros revestimentos em couro. O habitáculo é sóbrio, mas fica um pouco aquém do esperado em um modelo que custa R$ 97.900. Carros bem abaixo dessa faixa de preço chegam a receber mais cuidado nesse quesito do que a versão de topo testada. Nota 7

Design – O visual do Focus foi renovado neste ano. Com o “face-lift” desta terceira geração, passou a ostentar a generosa grade que lembra um “bocão”, que segue a atual assinatura visual da Ford. Os faróis incorporam luzes diurnas de LED e um friso cromado na linha dos vidros transmite requinte à lateral. Atrás, lanternas assimétricas redesenhadas completam a reestilização. Nota 8

Custo/benefício – A Ford cobra R$ 97.900 pelo Focus Titanium Plus 2.0, que é extremamente bem equipado, inclusive com estacionamento autônomo. A Volkswagen pede exorbitantes R$ 103.034 pelo Golf Highline com motor 1.4 turbo de 140 cv e equipado quase à altura do Focus. Já o Chevrolet Cruze Sport6 LT com motor aspirado 1.8 de 144 cv e câmbio automático de seis marchas custa R$ 86.050. Correndo por fora, o Peugeot 308 1.6 THP Griffe de 165 cv automático parte de R$ 81.990. A Hyundai pede R$ 105.990 pelo i30 com recursos semelhantes aos do Focus Titanium Plus 2.0, como acesso e partida do motor sem chave. Nota 7

Total – O Ford Focus Titanium Plus 2.0 somou 78 pontos em 100 possíveis.



Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone